Taxa mista no crédito habitação: é uma boa opção?

Com a subida da inflação na zona euro, o Banco Central Europeu iniciou uma subida progressiva das taxas Euribor em todos os prazos. Esta subida está a levar a que, quem tem um crédito habitação a decorrer ou pretenda comprar casa através de um crédito habitação, procure alterativas para minimizar o seu impacto.

Perante o contexto atual, e para os que procuram alguma estabilidade, a taxa mista pode ser uma boa solução. No entanto, é importante que faça simulações e analisar os vários cenários

 

Quais as taxas de juro existentes e qual a melhor?

Um crédito habitação pode estar associado a uma taxa fixa, variável ou mista.

Numa taxa fixa a TAN mantém-se inalterada até ao fim do contrato. Logo, a sua prestação mensal será sempre a mesma até saldar a totalidade do empréstimo.

Por outro lado, a taxa variável, varia consoante o prazo da Euribor estipulado no seu contrato. Por exemplo, a Euribor a três meses é revista trimestralmente, a Euribor a seis meses é revista semestralmente e assim sucessivamente.

No que diz respeito à taxa mista, a taxa de juro muda de fixa para variável durante o contrato. Esta alteração faz com que o valor da prestação mensal apenas sofra alterações após um período inicial acordado. No fundo, esta é uma opção para quem pretende beneficiar das vantagens das duas opções anteriores (taxa variável e fixa). Neste momento, o Doutor Finanças trabalha com parceiros que estão a praticar TAN de 0,9%. O que significa que durante os primeiros anos de contrato vai ter sempre uma TAN inferior a 1%, algo que com um crédito associado à Euribor já não consegue.

Embora em Portugal a esmagadora maioria dos créditos habitação sejam contratados com uma taxa variável, a escolha da taxa de juro depende sempre de cada situação e do que pretende. Ou seja, pretende reduzir os seus encargos imediatos ou garantir alguma tranquilidade ao longo do contrato? 

Se tem um contrato de crédito a decorrer e pretende reduzir os seus encargos, a taxa variável continua a ser uma boa opção, uma vez que atualmente existem várias entidades bancárias a praticar spreads de 0,90%.

 

O que devo ter em atenção numa taxa de juro mista?

Um crédito habitação a taxa mista permite-lhe ter uma taxa fixa durante o período inicial do seu contrato e depois passa a variável.

Em Portugal, os períodos mais comuns a que se aplica a taxa fixa são de 5, 10 e 15 anos. No entanto, já existem instituições que fazem contratos com uma taxa mista em que o período fixo é de 1 ano, 2 anos, 3 anos e de 4 anos. Um período de maturidade fixo maior implica, por norma, uma taxa de juro mais elevada.

Por outro lado, se a sua preocupação é a atual subida dos juros, uma maturidade com períodos até 5 anos pode ser uma boa opção. Pois, se olharmos para a história da Euribor e para os respetivos ciclos económicos, a descida dos juros tende a acontecer em menos de 5 anos. Mas atenção, não é certo que a história se repita.

Na contratação da taxa mista com um período fixo menor, a penalização por uma amortização antecipada de 2% prevalece por um período mais curto. Isto se pretender trocar de casa nos próximos anos.

E atenção: quando um banco apresenta uma proposta de crédito, esta tem de conter toda a informação sobre as taxas de juros aplicadas ao longo do contrato. A sua proposta tem de conter a TAN no período fixo, que engloba a sua taxa de juro fixa e o seu spread, mas também o spread que será aplicado juntamente ao valor da Euribor no restante prazo do contrato. Na maioria dos casos, os bancos estão a aplicar spreads entre os 0,95% e 1% associados a uma taxa variável, mas os valores poderão subir ligeiramente em contratos associados a uma taxa mista ou fixa.

 

Posso alterar para taxa mista já com um crédito a decorrer?

Sim. E aqui tem duas opções: renegociar diretamente com o seu próprio banco ou transferir o seu crédito para outra instituição.  

Quando renegoceia as condições do seu crédito, é possível mudar e poupar em várias coisas. Como o spread, o prazo do empréstimo ou os seguros, por exemplo.

Caso o seu banco não esteja disposto a alterar algumas condições contratuais que sejam essenciais para si, pode transferir o seu crédito habitação. Com esta transferência pode conseguir obter uma prestação mensal mais baixa ou a respetiva mudança de regime da taxa de juro.

Nesta altura, um intermediário de crédito certificado e experiente pode ajudar a encontrar a melhor solução. Eu posso ajudar nesta altura, entre em contacto comigo!